Acessibilidade na web: empresas e instituições com sites acessíveis

01/10/2018
imagem de uma tecla com um ícone de uma pessoa em cadeira de rodas usando um notebook em preto com fundo amarelo. Ao lado da imagem está escrito Acessibilidade na Web

E aí, pessoas! Tudo bem? Espero sinceramente que sim!

Setembro chegou ao fim e foi o mês da acessibilidade, mas este tema não deve ser lembrado apenas em um mês. Pesquisando na internet você conhece várias iniciativas bacanas para incluir as pessoas portadoras de deficiência em todos os tipos de atividades. A acessibilidade na web também vem sendo tratada com imensa importância por muitos, principalmente empresas e instituições, afinal essas pessoas também consomem produtos e serviços. Por essa razão, venho com uma lista destas empresas e os recursos de acessibilidade disponíveis em cada uma delas. Ainda falta muito para que a acessibilidade na web seja item indispensável no desenvolvimento de interfaces web, mas um passo enorme já foi dado. Vamos a elas:

Bradesco

 

página de recursos de acessibilidade do Banco Bradesco

 

Recursos visíveis no cabeçalho: Acessibilidade auditiva.

Página listando os recursos de acessibilidade disponíveis: banco.bradesco/html/classic/acessibilidade


TIM

página de recursos de acessibilidade da TIM

 

Recursos visíveis no cabeçalho: controle do tamanho da fonte, alto contraste e link para ferramenta de tradução em Libras (o recursos deveria já estar disponível no site e não obrigar o usuário a ainda ter que fazer o download)
Página listando os recursos de acessibilidade disponíveis: tim.com.br/sp/para-voce/acessibilidade


 

Oi

página de acessibilidade da Oi

 

Recursos visíveis no cabeçalho: controle de tamanho da fonte.
Página listando os recursos de acessibilidade disponíveis: oi.com.br/acessibilidade


 

VIVO

página de acessibilidade da Vivo

 

Recursos visíveis no cabeçalho: Recurso para ferramenta para tradução em Libras (precisa de instalação)
Página listando os recursos de acessibilidade disponíveis: vivo.com.br/portalweb/appmanager/env/web


 

Claro

página de recursos de acessibilidade da Claro

 

Recursos visíveis no cabeçalho: os links no topo do site levam para a página de recursos de acessibilidade, quando deveriam ativar algum recurso.
Página listando os recursos de acessibilidade disponíveis: claro.com.br/institucional/regulatorio/acessibilidade


 

NET

 

página de recursos de acessibilidade da NET

 

Recursos visíveis no cabeçalho: mesma ação do site da Claro. Os links estão lá, mas levam para a página de recursos de acessibilidade.
Página listando os recursos de acessibilidade disponíveis: net.com.br/regulatorio/acessibilidade


 

SKY

 

 

Recursos visíveis no cabeçalho: substituição do mouse por teclas de atalho, controle do tamanho da fonte e alto contraste.
Página listando os recursos de acessibilidade disponíveis: sky.com.br/acessibilidade-na-sky.


 

Livraria Moderna

 

página de recursos de acessibilidade da Livraria Moderna

 

Recursos visíveis no cabeçalho: atalhos de teclado, alto contraste, mapa do site e link para instalação da ferramenta para tradução em Libras.
Página listando os recursos de acessibilidade disponíveis: moderna.com.br/acessibilidade-moderna/acessibilidade.htm.


 

GOL

página de recursos de acessibilidade da GOL

 

Recursos visíveis no cabeçalho: navegação com teclas de atalho, navegação por tabulação e controle do tamanho da fonte.
Página listando os recursos de acessibilidade disponíveis: voegol.com.br/pt/acessibilidade.


Grandes sites de comércio eletrônico brasileiros não possuem sites acessíveis

Segundo o estudo As principais barreiras de acesso em sites do e-commerce brasileiro, os maiores sites de comércio eletrônico não estão preparados para atender pessoas com deficiência (definitiva ou temporária), visual, motora, intelectual, auditiva e/ou múltipla. Os portadores de deficiência passam por verdadeiros perrengues para fechar uma compra. Foram avaliados 15 sites: Americanas.com, Casas Bahia, Centauro, Dafiti, Extra, Kabum, Kanui, Magazine Luiza, Netshoes, Ponto Frio, Ricardo Eletro, Saraiva, Shoptime, Submarino e Walmart.

É impressionante como as empresas ainda não entenderam que deixar pessoas com deficiência de lado representa uma perda de vantagem comercial já que, segundo o IBGE, pessoas com algum tipo de deficiência são mais de 45 milhões. Sem falar que a acessibilidade na web, ou fora dela,  é um direito do cidadão. A verdade é que a grande maioria desses sites possuem uma navegação horrível até para os não portadores de deficiência. Vale muito a pena dar uma lida no estudo. Lá está detalhado cada item avaliado e o resultado.

 

O Submarino foi um dos sites avaliados pelo estudo

 

 

Faça a sua parte

Não pense que aplicar recursos de acessibilidade na web é algo de outro mundo. Também não pense que não é importante aplicá-los em um site mais humilde. TODOS os websites devem estar preparados.

Dê uma lida nas Diretrizes de Acessibilidade para Conteúdo Web (WCAG 2.0) e aplique-as no seu site/blog. Se você não possui conhecimento suficiente, contrate os serviços de um Desenvolvedor. Ele é o profissional mais indicado para isso.

Para quem tem sites em WordPress, há uma gama de plugins de acessibilidade disponíveis. Depois de muitos testes, optei pelo UserWay. Ele é fácil de configurar, customizável e bem completo (ícone no canto superior direito). O melhor é que você não precisa inserir linha de código no seu site e ele possui um servidor de acessibilidade dedicado.

 

print da página inicial do site userway.org onde vemos a logo, o menu e uma imagem mostrando o menu do plugin

Sites recomendados

Para aumentar seu conhecimento sobre o assunto, seguem algumas páginas importantes que tratam sobre o assunto:

Web para Todos: mwpt.com.br
Acesso para todos: acessoparatodos.com.br
Diretrizes de Acessibilidade para Conteúdo Web (WCAG 2.0): w3.org

 

Como citei no início do artigo, um passo já foi dado, mas ainda há muito a ser feito para que todos pensem na acessibilidade parte indispensável em qualquer projeto.

Até a próxima! 🙂